Quer aprender com quem já
passou pelo que você está passando?

Quer aprender com quem já
passou pelo que você está passando?

Karen Sitta

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit. Ut elit tellus, luctus nec ullamcorper mattis, pulvinar dapibus leo.

Karen Sitta

Karen Sitta

Engenheira Civil e Designer de Interiores
32 anos
Araraquara – SP

Meu relacionamento com a trombose começou em 2012, após uma fratura. A junção com gesso e o bendito anticoncepcional, me fez cair de paraquedas nesse mundo. Um mundo onde eu precisei esquecer o auge da minha vida, quase não consegui concluir a faculdade com minha turma, um mundo onde curtir com os amigos já não tinha mais o mesmo brilho e, onde eu não consegui iniciar minha vida profissional.

Após 11 dias internada, BOOOOOM! Trombose na perna esquerda. Cai no mundo da meia elástica horrorosa, remédio controlado todos os dias, exames e mais exames todo mês.

Com 24 anos eu não sorria mais sem ter vergonha, não mostrava mais minhas pernas e não via mais um futuro feliz, como antes. Quando descobri a trombose, fiquei internada por 11 dias, pois os coágulos estavam no meu abdômen já, imaginem o susto!  Com o passar dos anos e tratamento contínuo, tive uma boa melhora e meu vascular me liberou dos remédios, com a graça de Deus, eu estava livre… não muito, é claro, pois a meia elástica estaria na minha vida pra sempre.

Após 8 anos da primeira TVP, tive a segunda. Totalmente por burrice e capricho do meu ego. Voltei pro mundo do remédio controlado, pra um mundo que eu já havia me despedido. Mas, dessa vez algo havia mudado, a chave da maturidade estava ligada em mim.

Buscando estudar mais sobre a trombose, encontrei o Instagram da Thalita Mara, onde com um mix de informações e carinho me senti em casa, vi que não estou sozinha e encontrei força, alegria e vontade de viver. Onde uma palavra amiga e cheia de carinho, faz toda a diferença nos meus dias.

Hoje com 32 anos vivo com alegria tudo isso, sinto vontade de contar minha história, agradeço muito o tempo, por ter me ajudado a quebrar os tabus da meia e a tristeza do remédio diário, me fazer esquecer minhas limitações e, sim, buscar tudo novo, de novo. Hoje, depois de muita luta, não me vejo diferente, não enxergo como um defeito e passei a ver beleza na minha perna diferente, beleza nos meus dias e em tudo que tenho. Com mais idade e experiência, combino minha meia com meus looks, não me importo mais com o olhar dos outros, de curiosidade ou até mesmo pena, eu ando sim de cabeça erguida, porque sou uma vencedora. Poderia não estar aqui para contar essa história, mas entendi que Deus tem um proposito maior para tudo isso.

Sei que é difícil o começo, todas as mudanças e as tristezas que vem com os pensamentos, mas eu posso dizer que, sim, tudo passa! O clichê é real.

A diferença está nos olhos dos outros, não nos meus. Hoje, vivo um dia de cada vez e sei que tudo vai ficar bem.

Obrigada Thalita Mara!

Que pessoas como a Thalita Mara se multipliquem pelo mundo!

De uma segui-vida,

Karen Janaina Mascioli Sitta – 08/12/2020