Quer aprender com quem já
passou pelo que você está passando?

Quer aprender com quem já
passou pelo que você está passando?

Trombose: dá para prevenir?

IMG_9429

Trombose: dá para prevenir?

Prevenindo a Trombose: Além dos Anticoncepcionais

Introdução

Em um post anterior, discutimos o que é trombofilia e sua relação com a trombose, deixando claro que a conversa não se limitaria apenas aos anticoncepcionais. Hoje, expandiremos essa discussão para explorar outras causas que podem levar à trombose e, mais importante ainda, como é possível preveni-la. A trombose, uma condição na qual coágulos sanguíneos se formam nas veias, pode ter consequências sérias, incluindo inchaço, feridas e infecções crônicas. Além disso, pode resultar em embolia pulmonar, uma complicação perigosa. Vamos examinar as diversas situações que aumentam o risco de desenvolver trombose e discutir medidas preventivas.

Fatores de Risco e Como Prevenir

  1. Uso de Medicamentos: Certos medicamentos, como contraceptivos orais, quimioterápicos e tratamentos hormonais, podem aumentar o risco de trombose. É fundamental discutir com seu médico os riscos associados a esses medicamentos e considerar alternativas, se necessário.
  2. Obesidade: O excesso de peso é um fator de risco significativo para a trombose. Manter um peso saudável por meio de uma dieta equilibrada e atividade física é uma estratégia eficaz para prevenir a trombose.
  3. Varizes nas Pernas: A presença de varizes nas pernas pode aumentar o risco de trombose. Tratar as varizes, sob orientação médica, pode ser uma medida preventiva eficaz.
  4. Gravidez e Pós-Parto: A gravidez e o pós-parto estão associados a um aumento temporário no risco de trombose. Durante esse período, é essencial seguir as orientações médicas e tomar medidas preventivas, como manter-se ativa e hidratada.
  5. Doenças Crônicas: Doenças como insuficiência cardíaca e doenças pulmonares crônicas podem aumentar o risco de trombose. Controlar essas condições crônicas é importante para a prevenção.
  6. Doenças Agudas: Eventos agudos, como infarto do miocárdio, e infecções, como pneumonia, também podem aumentar o risco de trombose. Nestes casos, uma recuperação e tratamento adequados são cruciais.
  7. Traumatismos: Traumatismos, especialmente nas extremidades inferiores, podem aumentar o risco de trombose. Após uma lesão, siga as orientações médicas e mantenha-se ativo na medida do possível.
  8. Estilo de Vida: Fumar, consumir bebidas alcoólicas, passar longos períodos sentado e usar roupas apertadas que restringem a circulação sanguínea podem contribuir para o risco de trombose. Evitar esses comportamentos é uma forma de prevenção.

Medidas Preventivas Simples

  • Praticar atividade física regularmente ajuda a manter a circulação sanguínea saudável.
  • Manter uma dieta equilibrada e um peso saudável reduz o risco de trombose.
  • Beber bastante água ajuda a evitar a viscosidade do sangue.
  • Movimentar as pernas a cada 30 minutos, especialmente durante longos períodos de imobilidade, como viagens de avião, pode prevenir a trombose.
  • Consultar um cirurgião vascular se houver histórico de trombose na família ou se você precisar fazer uso de anticoncepcionais é uma medida preventiva sensata.

Conclusão

A trombose não é uma condição para ser subestimada, mas a prevenção é possível. Além de compreender os fatores de risco, é fundamental adotar medidas preventivas em nosso estilo de vida e procurar orientação médica quando necessário. Ao tomar medidas proativas, podemos reduzir significativamente o risco de desenvolver trombose e garantir nossa saúde a longo prazo.

Previna-se sempre.

Me conta aqui nos comentários, você conhecia todos esses fatores de risco para trombose?

Acredito que você também irá se interessar pelos conteúdos da Jornada Vida & Trombose.

Um beijo, um queijo e muita saúde para nós.

Thalita Mara

2 respostas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *